Secretaria da Educação de Camaçari presta contas em audiência pública

A Secretaria da Educação (Seduc) de Camaçari apresentou, nesta terça-feira (13), as contas do 3º quadrimestre de 2017. A apresentação das receitas e despesas do município referentes a este período foram coordenadas pela secretária Neurilene Martins, responsável pela pasta.

Esta foi a terceira audiência pública quadrimestral realizada pela Seduc alusiva ao ano de 2017. Na primeira, a secretária apresentou o diagnóstico do que foi encontrado no início da sua gestão, e o planejamento para os meses seguintes. Já na segunda audiência foi apresentada a implementação de ações estruturantes e estratégicas na educação. E, para finalizar, a prestação de contas do 3º quadrimestre apresentou os resultados significativos alcançados pela equipe que trabalhou pela educação de Camaçari.

Segundo relatório, desde março de 2017, a Seduc tem atuado na infraestrutura das escolas, entre obras, reparos e zeladoria. Ainda de acordo com o documento, todas as 102 unidades escolares passaram por alguma intervenção física. “Foi no último quadrimestre que mais avançamos no processo de requalificação das nossas unidades”, falou a gestora da pasta.

Em relatório, o diretor financeiro da Seduc, Gileno Moura, informou que em 2017 a Secretaria teve uma perda orçamentária de R$ 2.166.358,97 (Dois milhões, cento e sessenta e seis mil, trezentos e cinquenta e oito reais) em comparação ao ano anterior. Outro dado informado no mesmo documento foi o percentual do orçamento da pasta (22,9%), em relação à toda receita arrecadada pelo município.

Na Audiência, os parlamentares também participaram com perguntas e considerações. O vereador Vaninho da Rádio (DEM), presidente da Comissão de Educação e Assistência Social da Câmara, disse que é preciso aproximar mais a família da escola, buscando melhores condições de ensino e do aprendizado para os estudantes do município.

O vereador Teo Ribeiro (PT) questionou à secretária sobre o atraso do início do ano letivo em Camaçari, previsto para abril. Segundo ela, Camaçari tem um histórico de greve que prolonga o término do ano letivo e, consequentemente, o início do ano letivo seguinte.

Vários assuntos da área da educação foram colocados em pauta durante a Audiência, como infraestrutura, transporte, merenda escolar e salário dos docentes.  Neurilene respondeu aos questionamentos dos edis e do público presente e agradeceu à Casa Legislativa pela clareza do processo de prestação de contas.

tv CÂMARA


19.06 | 21ª Sessão Ordinária – 19/06/2018
Assista também a TV Câmara ao vivo pelo celular através do Facebook