Camaçari: Sesau presta contas do 1º quadrimestre de 2022 na Câmara Municipal

A Câmara Municipal de Camaçari recebeu l, na manhã desta segunda-feira (30/05), o secretário municipal da Saúde, Elias Natan, que conduziu a audiência pública para prestação de contas sobre os gastos, investimentos e receita da pasta relativos ao período de janeiro a abril deste ano.

O secretário falou sobre a oferta dos serviços públicos em saúde no município e as ações de enfrentamento ao novo coronavírus, além de falar sobre a ouvidoria SUS e as auditorias realizadas no período, assim como os recursos financeiros aplicados.

O secretário informou que atualmente a pasta conta na Atenção Primária com 67 equipes de Saúde da Família, 13 equipes de atenção primária, 27 equipes de saúde bucal, 02 equipes multiprofissionais, 38 unidades de saúde da família, 04 unidades básicas de saúde e 02 academias de saúde. Com isso a Sesau conseguiu uma cobertura na Atenção Básica de 96%, na Saúde da Família de 86,6%, e na cobertura de saúde bucal de 34%.

Segundo Elias Natan, essa melhoria na Atenção Básica se deu pela transformação de duas Unidades Básicas de Saúde em Unidades Estratégicas de Saúde da Família, uma em Monte Gordo e uma em Abrantes. Na sede de Camaçari também houve essa transformação na UBS da Gleba B, mas como aconteceu somente em maio, esses dados serão apresentados na prestação de contas do segundo quadrimestre.

O secretário também falou sobre os avanços na atenção primária, onde pequenas urgências pediátricas passaram a ser atendidas nas Unidades de Saúde da Família e as pequenas urgências e sintomas gripais passaram a ser atendidas por demandas abertas nas unidades de saúde do município.

A respeito das receitas da pasta, o gestor informou que o município recebeu aproximadamente R$ 502 milhões. Deste montante, o secretário informou que a pasta gastou cerca de 16,70% com despesas, o equivalente a cerca de R$ 84 milhões. O montante cerca de 1,7% a mais que o mínimo exigido por lei, que é de 15% do total das receitas.

Após a apresentação do secretário, o vereador Val Estilos (Republicanos), presidente da Comissão de Saúde da Casa, informou que não houve nenhum inscrito presencial ou online para fazer alguma pergunta ao secretário, e a palavra foi dada aos vereadores que estavam presentes.

O vereador Vavau (PSB) foi o primeiro a utilizar a tribuna, e questionou sobre a necessidade de mais profissionais de saúde bucal em algumas comunidades como, a de Cachoeirinha (em Barra do Pojuca). “A unidade está há um tempo sem profissional da área, além do USF que precisa ser vistoriado para dar uma maior atenção e maior suporte à população”, relatou. O vereador ainda apresentou questionamentos sobre o programa Mais Médico no município.

Natan respondeu sobre a dificuldade da pasta dar uma resposta mais rápida à população pela burocracia que o serviço público exige. A respeito das residências, o secretário explicou que quem custeava a residência era o município através de um convênio com uma fundação estatal, e não o governo federal. “Não estava tendo uma produção a contento da Secretaria. Além disso, tinha toda uma questão de prestação de contas que a Fundação por diversas vezes foi comunicada sobre essa falha e mesmo assim não foi feita essa prestação. Por isso tivemos que retirar essa residência num formato que atenda Camaçari”, explicou.

Em seguida o vereador Tagner (PT) questionou sobre uma possível redução de médicos na UBS Nova Aliança, que só tem atualmente 2 médicos, e falou sobre a concentração do fonoaudiólogos e reumatologista apenas no Programa Fila Zero, sem esses profissionais nas unidades. O parlamentar também falou sobre a necessidade do convênio da Secretaria de Saúde com o Hemoba.

Em sua resposta sobre a necessidade de mais profissionais nas unidades, o secretario informou que está com uma dificuldade de certidão com a empresa que oferece serviços médicos.

Sobre a concentração de algumas especialidades no Fila Zero, a diretora da Regulação, Elba Brito, explicou que a implantação do programa não impactou em redução das ofertas nas Unidades. Segundo ela, aconteceu o contrário, com o reforço nas ofertas descentralizadas. Em relação ao reumatólogo e fonaudiólogo, ela explicou que reumatologia é um procedimento no grupo de menores ofertas, que tem menos de 200 vagas por mês, e o parâmetro de corte são 5 vagas por unidades, e como eles têm 43 unidades (de saúde no município), então 100% da demanda entram na fila de espera e são marcadas dentro do centro de regulação. Já fonoaudiologia é cotizada por unidades, e por conta do elevado número de pacientes nas filas, foi colocada uma sala dentro do fila zero.

De volta à Elias Natan, o secretario contou que no último sábado o prefeito assinou o documento da proposta de convênio com o Hemoba, e estão encaminhando esse documento para finalizar esse processo de convênio.

O vereador Vaninho da Rádio (União) também utilizou a tribuna e pediu ao secretário que ajude a comunidade do Coqueiro de Monte Gordo, onde há um profissional de saúde bucal, mas que a população informa que o problema é na rede elétrica. Em sua resposta o secretario informou que a Coelba já foi acionada e está indo verificar se a carga será suficiente para que a Unidade possa funcionar de forma efetiva.

 

tv CÂMARA


27.09 | Audiência Pública para a Prestação de Contas do 2º Quadrimestre – 26 de Setembro 2022
Assista também a TV Câmara ao vivo pelo celular através do YouTube